terça-feira, junho 25, 2024

Feipol-Con e Cobrapol reúnem-se com Vice-Governadora e Procurador-Geral do Estado de Pernambuco na busca de reverter demissão do sindicalista Áureo Cisneiro

Must Read

“Milena fez essa importante articulação que pode ser fundamental para o que buscamos. Por razões pessoais ela não é mais diretora de nossa entidade, mas sempre esteve ativa nas causas que importam aos Policiais Civis de todo o Brasil”, reconheceu, Marcilene.

Durante a reunião, foram abordados aspectos técnicos do processo que culminou com a demissão de Áureo Cisneiro, mas também os sindicalistas expuseram o absurdo político da decisão, que fere de morte preceitos constitucionais de liberdade e de representação sindical. “Fomos incisivos em nossa indignação quanto ao fato de um servidor público concursado ser demitido por fazer a luta sindical, especialmente pelo fato de ter decorrido por meio de um governo de um partido que deveria prezar pelas ferramentas sociais de mobilização e pela liberdade de expressão”, destacou Giancarlo que também é Vice-Presidente da FEIPOL-CON.

A Vice-Governadora, mesmo sensível às questões apresentadas, apontou que não é perfil do governo, atitudes de perseguição e que defende a liberdade de expressão e a atuação dos sindicatos e passou a palavra ao Procurador-Geral, que ponderou que o Estado agiu de forma legítima, com base nos procedimentos desenvolvidos e relatados pela Corregedoria da Polícia Civil de Pernambuco, restando apenas a opção da demissão. O Dr. Ernani Medicis disse que não há animus do Governador em demitir servidores por motivos rasos como perseguição política e que não vê problema em reavaliar o processo, contanto que haja novos elementos, ainda não abordados nos autos, que motivem uma reapreciação.

O Presidente do SINPOL-PE, João Rafael, que esteve presente à reunião e que conhece a fundo o caso, fez ponderações pertinentes e se comprometeu em tratar com o jurídico a abordagem de outros pontos que possam fazer diferença para a mudança da decisão que está prejudicando Áureo, mas, ao mesmo tempo, mobilizando nacionalmente as entidades sindicais e a sociedade de maneira geral. “Acreditamos que temos argumentos fortes para reverter a decisão e continuaremos atuando até que tal ato seja revertido. Atuar na parte jurídica e negociar a parte política são instrumentos aos quais o movimento sindical sempre recorre em sua atuação diária e continuaremos expandindo ao máximo nossa atuação. É óbvio que precisaremos de nossa categoria de prontidão para realizarmos as mobilizações que se façam necessárias, pois se algo assim for levado a efeito será uma derrota para todos nós”, discorreu Rafael.

A coordenação da COBRAPOL, as manifestações das entidades, o ato de protesto, as articulações políticas e as instâncias judiciais, todas essas ferramentas continuarão a ser utilizadas e a FEIPOL-CON manter-se-á em prontidão para continuar a busca por justiça ao sindicalista, servidor público concursado e pai de família, Áureo Cisneiro. “Algo desse tipo não deve prosperar. Deve ser uma pauta de todo o trabalhador e pessoa que acredita na liberdade, no direito à manifestação e nas garantias constitucionais que lutamos para conquistar após mais de 20 anos de um regime ditatorial. Acreditamos nisso e lutaremos até o fim”, arrematou, Marcilene.

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -spot_img
Latest News

Presidente da FEIPOL-CON fecha semanas de agendas em Brasília com reunião com o Presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara Federal

As duas últimas semanas foram marcadas por intensas agendas da Presidente da FEIPOL-CON, Marcilene Lucena, no Congresso Nacional. Além...
- Advertisement -spot_img

More Articles Like This

- Advertisement -spot_img